image

 

 

 

PPGHE 

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA ECONÔMICA

Sigla: FLH5539 – 1

Tipo: PÓS

Nome: A Acumulação Primitiva e as Origens do Pensamento Moderno

Área: História Econômica (8137)

Prof.-responsável: Prof. Dr. Luiz Renato Martins

Prof.-ministrante convidado: Prof. Dr. Pedro Rocha de Oliveira

Apoio e divulgação: Centro de estudos DESFORMAS

“A Acumulação Primitiva e as Origens do Pensamento Moderno”

Prof. Dr. Pedro Rocha de Oliveira (Departamento de Filosofia, UNIRIO)

Aulas: 3as e 5as,10h – 14h

06/08 – 08/08 – 13/08 – 15/08 – 20/08 – 22/08

Local: Sala 21, Prédio de História e Geografia – FFLCH – USP

Ementa

A disciplina se debruça sobre os aspectos econômicos, políticos e ideológicos do processo de consolidação do capitalismo agrário-mercantil na Inglaterra do “longo século XVI”. Propõe uma análise de tal processo em termos das violentas transformações que a mercadorização das relações de produção impôs sobre a forma de vida “pré-moderna”: as mudanças nos regimes de posse de terra e de trabalho agrícola, a emergência de relações políticas amparadas na mercadoria e no dinheiro, a redistribuição do poder político junto às novas elites econômicas, e a concentração da capacidade militar e jurídica pela Coroa sob a forma do Estado moderno em ascensão. São discutidas, ainda, as reações populares e as formulações teóricas das elites letradas frente a tais transformações, e é sugerido o quanto essas últimas são fundamentais para compreender os rumos ulteriores do pensamento moderno. Finalmente, são mapeados alguns caminhos teóricos que levam desde essas formulações produzidas pelas primeiras elites intelectuais propriamente modernas até os problemas de método da historiografia contemporânea sobre o período.

A disciplina tem, por um lado, um caráter introdutório, não exigindo conhecimentos prévios a respeito da história inglesa. Por outro lado, trabalha com questões gerais de interpretação do capitalismo e da modernidade, tornando-a atraente para o público que já tenha experiência de estudo nessas áreas.

Plano de aulas

A disciplina está inicialmente pensada em termos de seis aulas, a serem ministradas no intervalo de três semanas (o número total de aulas, e o número de encontros semanais, podem ser adaptados às necessidades do programa de pós-graduação). As aulas serão amparadas em “leituras recomendadas” que funcionarão como pano de fundo para a discussão e exposições orais mais detalhadas.

06/08 – Aula 1:

Antecedentes

  • Peculiaridades da monarquia desde a Conquista Normanda
  • Organização aldeã do trabalho, direitos comuns e a Magna Carta
  • A Grande Revolta do final do século XIV
  • A estrutura de classes da sociedade inglesa no final no século XV

Leituras recomendadas:

Gillingham, J. Griffiths, R. Medieval Britain. A Very Short Introduction. Oxford: Oxford University Press, 2000. Capítulo 6, “Wealth, population and social change in the later Middle Ages”.

Linebaugh, Peter. The Magna Carta manifesto. Berkely: University of California Press, 2008. Capítulo 2, “Two Charters”.

As transformações socioeconômicas do “longo século XVI”

  • A ascensão da manufatura rural
  • A Reforma Anglicana e a concentração de terras

Leituras recomendadas:

Hoyle, R. W. “Rural economy and society”. In: Tittler, R. Norman, J. (Orgs). A companion to Tudor Britain. Oxford: Blackwell, 2004

Clay, C. G. A. Economic Expansion and Social Change: England 1500-1700. Volume II: Industry, trade, government. Cambridge: Cambridge University Press, 1994. Capítulo 8: “The diversification of economic activity”.

08/08 – Aula 2:

As transformações socioeconômicas do “longo século XVI” (continuação)

  • A pobreza moderna
  • As novas elites econômicas

Leituras recomendadas:

Clay, C. G. A. Economic Expansion and Social Change: England 1500-1700. Volume II: Industry, trade, government. Cambridge: Cambridge University Press, 1994. Capítulo 8: “The diversification of economic activity”.

Esboço de Estado Moderno

  • Estruturas tradicionais de governo e monetarização
  • Reforma militar e concentração de poder
  • Rudimentos de administração social

Leituras recomendadas:

Block, J. S. “The Rise of the Tudor State.” In: Tittler, R., Jones, N. A companion to Tudor Britain. Oxford: Blackwell Publishing, 2004

Sayer, Derek. “A Notable Administration: English State Formation and the Rise of Capitalism”. In: American Journal of Sociology, Vol. 97, No. 5 (Mar., 1992), pp. 1382-1415

13/08 – Aula 3:

As rebeliões populares

  • A tradição de desobediência popular
  • A repressão estatal moderna

Leituras recomendadas:

Fletcher, Anthony. MacCulloch, Diarmaid. Tudor Rebellions. London: Pearson, 2008. Capítulos 1, 2, 10.

15/08 – Aula 4:

O esforço colonial inglês

  • A intensificação do domínio inglês sobre a Irlanda
  • Comércio ultramarino e pirataria
  • Os assentamentos ingleses nas Américas

Leituras recomendadas:

Appleby, John C. “War, Politics and Colonization, 1558-1625”. In: Canny, Nicholas. The Oxford History of the British Empire. Vol I. Oxford: Oxford University Press, 2001

Ohlmeyer, Jane H. “A laboratory for empire? Early modern Ireland and English Imperialism.” In: Kenny, K. Ireland and the British empire. Oxford: Oxford University Press, 2004

20/08 – Aula 5:

Problemas historiográficos e ideologia do desenvolvimento

  • Breve panorama da historiografia da alvorada da modernidade
  • O problema dos enclosures e a perspectiva do “desenvolvimento”
  • Ideologia do desenvolvimento e perspectiva de elite
  • Violência capitalista e dialética da civilização burguesa em Marx

Leitura recomendada:

Braddick, Michael. “State formation and the Historiography of Early Modern England”. In: History Compass N. 2 (2004), pp. 1-17.

22/08 – Aula 6:

O discurso das elites letradas na alvorada da modernidade

  • Crítica frankfurtiana da perspectiva dialética sobre a modernização capitalista
  • Ciência e dominação social: o caso Francis Bacon
  • Estado e dominação social: Thomas More e os “Commonwealthmen”
  • Sociedade civil e dominação social: Thomas Smith

Bibliografia Geral

Adorno, Theodor W. Horkheimer, Max. Dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985

Braddick, Michael J. State formation in Early Modern England, 1550-1700. Cambridge: Cambridge University Press, 2004

Bucholz, R. O. Key, Newton. Early modern England, 1485-1714: a narrative history. Oxford: Blackwell, 2004

Fletcher, Anthony. MacCulloch, Diarmaid. Tudor Rebellions. London: Pearson, 2008

Hindle, Steve. The State and Social Change in Early Modern England, 1550-1640. New York: Palgrave, 2002

Marx, Karl; Engels, Friedrich. Manifesto comunista. Trad.: A. Pina e I. Jinkings. São Paulo: Boitempo, 2010

Marx, Karl. O capital. Crítica da economia política. Livro I. O processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, [1867] 2014. Capítulo 24, Seções 1, 2 e 3

Oliveira, P. R. Dinheiro, mercadoria e Estado nas origens da sociedade moderna. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio / São Paulo: Loyola, 2018

Wood, Neal. Foundations of political economy: some early Tudor views on state and society. London: University of California Press, 1994